Alguns anos atrás, decidi que era hora de agir. Eu tinha passado a minha vida na música da igreja e finalmente decidi que estava na hora de mudar isso. Comecei a ler livros sobre igreja, eu fiz viagens por aí para observar outros ministérios, participei de vários treinamentos. Eu estava fervorosamente correndo atrás da missão de Deus, perseguindo o sonho de construir seu Reino ganhando pessoas para Jesus.

E o tempo todo eu sentia que estava ficando mais frio no meu relacionamento com Cristo.

Lucas registra um momento em que Jesus foi à casa de duas mulheres, Maria e Marta. Dizem-nos que Maria se senta aos pés de Jesus, ouvindo seus ensinamentos, enquanto Marta se ocupa em preparar a casa. Marta fica irritada com a inatividade da irmã e reclama com Jesus: “Você não se importa que minha irmã me tenha deixado fazer o trabalho sozinha? Diga a ela para me ajudar! ”(Lucas 10:40).

Jesus responde: “Marta, Marta, você está preocupada e chateada com muitas coisas, mas Maria escolheu o que é melhor, e não lhe será tirado” (Lucas 10:41).

Me ocorreu: “eu era Marta”. Minha alegria mudou do meu relacionamento com Deus para o meu trabalho para Deus. Fiquei descontente com certas áreas do meu trabalho e meu relacionamento com Deus parecia frio. Vim servir a Deus mudando para um novo trabalho como uma maneira de obter a excitação e satisfação que procurava: um novo lugar, um novo trabalho, um povo não alcançado que pudesse usar minha experiência e conhecimento. Eu era apaixonado, mas era paixão pela obra de Cristo, não por meu relacionamento com Cristo.

Deus nos designou para desfrutar de sua missão e seu trabalho, mas ele nunca pretendeu que nos tornássemos seus substitutos. O evangelho não é uma maneira de levar as pessoas ao céu; é uma maneira de levar as pessoas à Deus. É uma maneira de superar todos os obstáculos a alegria eterna em Deus. Se não queremos Deus acima de todas as coisas, não fomos convertidos pelo evangelho.

O Salmo 73:25–26 diz: “A quem tenho nos céus senão a ti? E na terra, nada mais desejo além de estar junto a ti. O meu corpo e o meu coração poderão fraquejar, mas Deus é a força do meu coração e a minha herança para sempre.” O salmista está dizendo que devemos ter em mente que Deus é o objetivo da nossa salvação. É por nosso prazer nele que desejamos servi-lo e compartilhar com os outros.

E mesmo quando estamos nos deleitando no Senhor, somos tentados o tempo todo a nos delitarmos na eficácia de nosso ministério.

O sucesso de alguém no ministério está associado exclusivamente ao sucesso de Deus no avanço de seu Reino. É mais difícil distinguir entre meu trabalho e o trabalho de Deus – e minha glória e a glória de Deus – do que no restante do trabalho que fazemos diariamente. Li recentemente em um artigo essas perguntas que me ajudaram a manter o foco do ministério em Cristo. Faça a si mesmo, regularmente, estas perguntas:

  1. Como você se sentiria se Deus escolhesse abençoar e usar outra igreja / ministério / pequeno grupo em sua área mais significativamente do que o seu?
  2. Você se vê criticando regularmente os membros do grupo, colegas líderes ou outros líderes de ministérios?
  3. Como os sucessos e fracassos do ministério afetam seu relacionamento com Deus?
  4. Como está sua vida de oração?
  5. Você costuma sentir que não está recebendo crédito suficiente por sua obra e sucesso no ministério?
  6. Você vive ansioso e ocupado com o trabalho no ministério ou é capaz de experimentar a liberdade ao deixar os resultados e frutos do seu trabalho para Deus?
  7. Você está trabalhando para cultivar o fruto do Espírito em sua vida ou está mais focado nos dons do Espírito?

Fazer essas perguntas continuamente pode ajudá-lo a vigiar seu coração e suas motivações no ministério. A realidade é que você poderá sustentar um ministério bem-sucedido à parte de Cristo por um tempo, até anos, sem que os mais próximos de você saibam que você está operando com sua própria força e morrendo por dentro. Mas eventualmente as paredes vão desmoronar. Você não será capaz de continuar. Haverá um lapso. Talvez você ataque alguém ou caia em pecado. Independentemente você acabará por cair.

Abraham Kuyper disse: “O perigo é que muitas vezes permitimos que o evangelho transforme tudo ao nosso redor, sem jamais permitir que mude completamente nosso próprio coração”. Deus é o objetivo do evangelho. Lute muito para encontrar sua alegria somente em Cristo e permita que seu ministério seja o resultado de sua alegria – não a fonte.

* Klevys Silva é pastor de comunhão e pastor operacional na Sibapa.